Traduzir

sexta-feira, 29 de março de 2013

Osteopatia Estrutural

Atualmente a Osteopatia é composta por 3 especialidades:

Osteopatia Estrutural;
Osteopatia Craniana;
Osteopatia Visceral.

A base do meu trabalho é a Osteopatia Estrutural e vai ser sobre ela que me vou inclinar.

Para conseguirmos perceber o funcionamento da Osteopatia devemos ter uma visão do corpo humano como sendo um todo. Uma única unidade em que não é possível dissociar os seus diferentes Sistemas uns dos outros, e onde uma alteração num Sistema vai ter repercussões sobre os demais. 

Assim a estrutura vai interagir com a função, ou seja, uma alteração na estrutura corporal vai alterar o funcionamento do organismo.

Todas as estruturas do corpo têm a sua própria mobilidade. Cada vez que essa mobilidade é bloqueada considera-se que há uma alteração na estrutura. Uma das causas de alterações na estrutura são os traumatismos, contudo existem outras causas mais frequentes.

O Sistema Nervoso é um dos responsáveis pela interacção que existe entre a estrutura e a função. O cérebro envia informação sobre as funções do organismo através de impulsos nervosos que percorrem o tecido nervoso distribuído pelo corpo. 
Cada vez que há uma obstrução nesse percurso, o nervo fica inflamado, e a função é prejudicada. Essa obstrução pode ser provocada pela estrutura, e mais frequentemente ocorre ao nível da coluna vertebral.


A coluna vertebral abriga a medula espinal que é a principal via de comunicação do Sistema Nervoso. Entre cada vértebra da coluna existem duas aberturas por onde passam os nervos espinais, vindos da medula, que depois se ramificam e transmitem os impulsos nervosos a todas as partes do organismo. Ao haver um bloqueio numa vértebra, uma dessas aberturas pode-se fechar e vai originar uma obstrução no percurso do impulso nervoso, que posteriormente se vai reflectir sobre a função correspondente.

Posso exemplificar com o caso de uma pessoa que sofre de gastrite (inflamação no estômago). A gastrite pode ter distintas causas e apresenta vários sintomas, que normalmente desaparecem após a pessoa ser tratada com fármacos. Contudo se passado umas semanas ou meses voltam a aparecer os sintomas, voltando-se a recorrer ao uso de fármacos, e o ciclo repete-se vez após vez, podemos muito bem estar perante um mau abastecimento neurológico. Ou seja, há uma obstrução no percurso do impulso nervoso, provocando uma inflamação nervosa, que vai desencadear um mau funcionamento do estômago. 
Cabe ao osteopata fazer uma avaliação e detetar se há alguma alteração na estrutura que possa estar a provocar a obstrução, muitas das vezes quando o estômago é o afetado corresponde à vértebra Dorsal 6. Pode estar bloqueada obstruindo a abertura por onde passa o nervo espinal, e assim a informação enviada do cérebro não está a chegar corretamente até ao estômago.

A cultura que existe em Portugal é de recorrer ao osteopata quando há dores nas articulações, contudo o trabalho do osteopata pode estender-se, e muito, para além das dores nas articulações. Pois a dor nada mais é do que um sintoma de inflamação, e a inflamação pode ter várias manifestações e origens. Exemplificando, uma vértebra da coluna ao ter a sua mobilidade bloqueada origina inflamação em diferentes estruturas (em cima vimos o exemplo de inflamação nervosa). O osteopata faz uma avaliação para descobrir a causa primária dessa inflamação, e se realmente foi provocada por essa vértebra bloqueada faz-se a correção, não havendo mais motivo para a inflamação se manter. Demora algum tempo até a inflamação desaparecer completamente, dependendo da estrutura inflamada e do tempo que esteve assim. Todas as estruturas inflamadas devido à sub-luxação dessa vértebra restabelecerão o seu normal funcionamento.

A Osteopatia Estrutural é aplicada directamente sobre ossos, músculos e fáscia. Dispondo de uma série de testes manuais para identificar as estruturas bloqueadas, serve como avaliação e tratamento.

Sem comentários:

Enviar um comentário