Traduzir

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Posturologia

"Endireita as costas! Depois vem lamentar-te que tens dores."

Será que endireitar as costas me vai tirar as dores? 
E será que isso deve depender do meu esforço consciente? 
Porquê ter as costas direitas se estou mais confortável com as costas encurvadas? 
E porque é que há pessoas que têm as costas direitas sem se esforçarem para isso?
Já vi pessoas com as costas encurvadas e sem dores, porquê?
Haverá algum mecanismo no meu corpo que defina a posição das minhas costas?

Foi na busca de respostas a estas perguntas que nasceu a Posturologia, a ciência que estuda a postura e tudo o que lhe está associado.

Postura pode ser definida como a atitude inconsciente que o nosso corpo tem. O posicionamento que as diferentes estruturas do nosso corpo adquirem, tanto em movimento como parado, e em qualquer posição.

O Sistema Tónico Postural (STP) é o responsável pela nossa postura, é este sistema que define qual a nossa postura de acordo com o nosso meio interno e externo. Isso implica que o nosso corpo receba informação do seu entorno, e para isso temos os chamados captores externos que captam a informação que vem do exterior. Informação esta que depois é cruzada com informação que vem dos captores internos e processada pelo STP, que se serve das cadeias musculares para assim originar a nossa postura.
O STP também pode ser chamado de Sistema Propriocetivo, pois entre os captores estão todos os propriocetores mais outras estruturas que não são consideradas como propriocetores.

Em linguagem comum, os captores externos, cujo o papel é de maior importância, são:
  • Olhos;
  • Ouvidos;
  • Pés;
  • Pele.

E os captores internos mais destacados são:
  • Orgãos;
  • Vísceras.

Há algumas estruturas que, embora não sendo captores, são fundamentais para a nossa postura, por exemplo, a boca (pois é o ponto de união de várias cadeias musculares). Existem ainda outros aspetos que condicionam a postura, como é o caso da manutenção da linha de visão na posição horizontal. 

É assim lógico pensarmos que se houver alguma alteração em qualquer um destes captores, inclusive na boca, vai haver alterações na nossa postura. Pois a informação que chegará ao STP já não será correta, e a nossa postura obrigatoriamente não poderá ser correta.

Se a nossa postura não é a correta haverá compensações no nosso corpo, que mais cedo ou mais tarde produziram dores ou limitações.

Só para se ter uma ideia, a simples falta de um dente modifica a nossa postura (a longo prazo). É possível termos uma dor em qualquer parte do corpo, por exemplo, no joelho, devido a um dente que arrancamos à vários anos atrás.

Contudo não é possível obrigarmo-nos a corrigir a nossa postura, a nossa postura é autónoma, não a podemos forçar, da mesma forma que não forçamos os batimentos cardíacos ou o funcionamento do estômago. 
De acordo com a informação que chegue ao STP, assim será a nossa postura. Por isso, para alterarmos a nossa postura o que é necessário é corrigir os captores, e só quando estes tiverem corrigidos é que irão enviar informação correta ao STP.

A Posturologia é isto, estuda as alterações que os captores podem sofrer, e o seu reflexo sobre a postura. Estuda formas de corrigir os captores e simultaneamente corrigir a postura.




Mais uma vez a Ciência nos demonstra que o corpo humano não pode ser dissociado, todos os seus sistemas estão integrados, todos os seus elementos estão interligados. Só com uma análise global é que podemos encontrar tratamento eficaz às mais variadas patologias.